6 plantas que podem ajudar a melhorar o ar de ambientes internos

Além de poluição e poeira, o ar de dentro da sua casa pode conter substâncias químicas liberadas pelos materiais da construção, pelos móveis e pelos produtos usados no dia a dia, como a tinta da impressora e o removedor de esmalte, os quais podem prejudicar a saúde e causar alergias, asma, dor de cabeça e fadiga. A boa notícia é que algumas plantas são capazes de remover parte desses poluentes químicos do ar, tornando-o mais limpo. Veja abaixo algumas delas:

 

Dracena ou Pau d’água (Dracaena fragrans): em um estudo recente, realizado pela State University of New York at Oswego (SUNY Oswego), a dracena foi a planta que melhor removeu a acetona do ar (94%, depois de um período de 12h). Ela pode viver em locais com luz difusa, meia-sombra ou sol pleno, mas sempre em solo fértil, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente, sem encharcamentos.

 

Planta-jade (Classula ovata ou Classula argentea): essa suculenta, que pode parecer uma árvore em miniatura, foi a espécie estudada que melhor removeu o tolueno do ar. O tolueno é uma substância química de cheiro forte, geralmente associada com solventes de tinta. A planta-jade pode ser cultivada sob luz difusa, meia-sombra ou sol pleno.

 

Hera inglesa (Hedera helix): além de versátil, já que pode ser cultivada em cestos pendurados, vasos baixos ou até como topiarias, são plantas que ajudam a eliminar o formaldeído proveniente de resinas sintéticas, plásticos, abrasivos, tintas, vernizes etc. Pode ser cultivada em sol pleno ou meia-sombra, porém, precisa de regas periódicas e de um solo bem drenado.

 

Bromélia (Guzmania lingulata): além de bonita, essa planta da família do abacaxi é uma das mais eficientes na remoção dos compostos orgânicos voláteis (COVs), reduzindo o benzeno, um gás tóxico presente na fumaça de veículos e de cigarros, o tolueno e o formaldeído. Ela pode ser cultivada em locais bem iluminados, mas não tolera o sol direto.

 

Camedórea-bambu (Chamaedorea seifrizii): de fácil manutenção, esse tipo de palmeira remove o formaldeído do ar. Pode ser cultivada sob meia-sombra ou luz difusa, em solo drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente.

 

Clorofito ou planta-aranha (Chlorophytum comosum): uma das mais indicadas para remover o etilbenzeno, o p-xileno e o o-xileno, produtos químicos presentes em tintas, adesivos, borrachas e vernizes. Essa planta adapta-se a vários ambientes e tolera o ar-condicionado. Pode ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil com regas regulares.

 

CORP-1162377-0016 PRODUZIDO EM NOVEMBRO/2016 VÁLIDO POR 2 ANOS

 

3 dicas para voltar aos exercícios depois de uma pausa

Se por algum motivo você deixou de se exercitar por uma ou algumas semanas, voltar para o treino pode ser um desafio. Tentar retomar exatamente de onde parou não é uma boa ideia, principalmente se tiver ficado ausente por causa de alguma lesão. Mas como o importante é retomar a rotina de atividades físicas, relacionamos algumas dicas do que você pode fazer para voltar a se exercitar de forma segura:

  • Aceite o seu novo “nível”. Se está recomeçando, provavelmente está mais fraco e mais lento do que antes de parar de se exercitar. Então não tente voltar à ativa fazendo tudo exatamente como antes, pois isso pode levar a lesões. Seja paciente consigo mesmo e eventualmente você voltará para o ponto em que estava.
  • Reveja conceitos básicos. Se costumava andar ou correr, diminua a distância percorrida e também a intensidade nos primeiros dias. Se fizer exercícios de força, recomece com cerca de 10% menos peso do que costumava usar e descanse após algumas poucas séries, daí veja como está se sentindo e ajuste de acordo. Por exemplo, se estiver acostumado com o peso de 10 kg, opte por usar um de 9 kg no mínimo. Se não tiver essa opção, escolha o próximo disponível com menor peso.
  • Planeje-se. Escreva uma lista em uma folha de papel ou no seu celular com quais atividades você vai praticar, quando e em que ordem. Quanto mais específica a descrição sobre o tipo de exercício, peso, séries, repetições e meta semanal, melhor. Assim ficará mais fácil se comprometer, não perder tempo e recuperar a rotina.

6 passos para mudar seus hábitos alimentares

Ingerir os alimentos certos pode alavancar seus esforços para emagrecer e lhe dar mais disposição. Mas a vida agitada torna a alimentação correta um verdadeiro desafio. Estas 6 dicas podem ajudar:

  1. Inicie cada dia com um café da manhã saudável. Pessoas que tomam café da manhã têm menos chances de comer em excesso durante o dia. Outra vantagem: tomar um café da manhã saudável pode ajudá-lo a ter a disposição necessária para exercer as atividades do dia.
  2. Coma mais alimentos integrais. A inserção de alimentos integrais na sua dieta, como pães e massas integrais, aveia e arroz integral, pode ajudá-lo a manter um peso saudável.
  3. Coma uma grande variedade de legumes e verduras. Tente ingerir legumes e verduras de cores variadas (verde, vermelho e laranja, por exemplo), pois cada cor oferece nutrientes diferentes. Na cor vermelha, lembre-se da beterraba e dos pimentões vermelhos. No verde há o brócolis e o espinafre. A cenoura e a batata-doce são boas escolhas na cor laranja.
  4. Tenha lanches saudáveis sempre à mão. Ingerir lanches saudáveis ajuda a controlar a fome e a evitar a comida em excesso. Pense sempre em comer menos gordura e menos açúcar. Frutas frescas, queijo light e cereais ricos em fibras são opções saudáveis e muito saborosas.
  5. Fique de olho na quantidade. Preste atenção nas porções impressas nas embalagens e na quantidade de comida ao fazer seu prato. As porções vendidas em restaurantes costumam ser grandes. Por isso, tente dividir uma refeição com alguém ou levar metade para casa quando comer fora.
  6. Limite os doces, as gorduras e os óleos. Tente diminuir a ingestão de alimentos e bebidas ricos em açúcar adicionado. Limite as gorduras e o óleos também. Se precisar usá-los, prefira os tipos mais saudáveis, como o azeite de oliva e o óleo de canola.

 

Lembrete importante: converse sempre com um médico antes de fazer quaisquer alterações em sua dieta. Em geral, a maioria das pessoas deve focar em uma dieta que:

  • Tem como base frutas, legumes, verduras, produtos integrais, produtos sem gordura e laticínios desnatados.
  • Contém carnes magras, aves, peixes, grãos e oleaginosas.
  • Tem pouca gordura saturada, gordura trans, colesterol, sal e açúcar adicionado.

5 dicas para emagrecer

Ao tornar seus objetivos específicos e realizáveis, você terá mais chances de alcançá-los
Ao tornar seus objetivos específicos e realizáveis, você terá mais chances de alcançá-los

Se você estiver com sobrepeso, perder apenas 5% do seu peso corporal poderá auxiliar a melhorar a sua saúde. Exemplo: alguém que pesa 90 kg precisa perder 4,5 kg. Qual é a forma mais segura de emagrecer? De forma lenta e contínua. O ideal é perder de 0,5 kg a 1 kg por semana. Converse com o seu médico sobre o objetivo de emagrecimento adequado para você. Siga estas dicas para emagrecer e fique longe dos quilos adicionais.

  1. Defina objetivos específicos e realizáveis. Em vez de definir uma única meta grande e de longo prazo, fragmente-a em metas menores, em objetivos menos grandiosos. Por exemplo, estabeleça objetivos de emagrecimento semanais ou mensais em vez de definir metas anuais. A cada objetivo menor, você vai ficar cada vez mais perto do objetivo final. Ao tornar seus objetivos específicos e realizáveis, você terá mais chances de alcançá-los.

 

  1. Siga o plano traçado pelo seu médico. Converse sempre com o seu médico antes de iniciar um plano de atividades físicas ou de emagrecimento. Fale com ele também quando for aumentar a intensidade de suas atividades. Também é importante perguntar qual é sua zona apropriada de frequência cardíaca a fim de determinar que intensidade de exercício é adequada para você.

 

  1. Registre seus esforços. Anote os alimentos que ingeriu, as atividades feitas e quanto peso tem perdido para ajudá-lo a ter um panorama de quão longe você chegou. Essa anotação também facilita o compartilhamento de informações com o seu médico.

 

  1. Torne-se mais consciente em relação aos seus hábitos alimentares. Para muitas pessoas, as influências sociais e ambientais podem levar ao exagero da comida. Tire um tempo para analisar as influências que podem fazer com que você coma em excesso. Depois, parta para a mudança. Por exemplo, se você tende a comer mais quando está com certos amigos, faça algumas atividades físicas com esses amigos; faça uma caminhada em vez de ir jantar.

 

  1. Presenteie-se. A cada objetivo realizado, comemore, mas não com comida. Faça algo legal para você. Você merece.

 

 

CORP-1162377-0011 PRODUZIDO EM JUNHO/2016 VÁLIDO POR 2 ANOS

 

Descubra o esporte mais indicado para você e divirta-se!

Não é necessário muito esforço para uma vida saudável
Não é necessário muito esforço para uma vida saudável

Praticar esportes não é uma tortura. E não é necessário muito esforço para uma vida saudável. Existem maneiras simples de fazer exercício de forma saudável e positiva!

O inverno está muitas vezes ligado a um maior sedentarismo e à inércia. Em vez de ficar em frente à TV para ver filmes e a comer pipoca, é mais saudável praticar alguma atividade esportiva, melhorar a condição de seus músculos, coração e outros fatores metabólicos.

Caminhadas, corridas leves, ciclismo e natação, por exemplo, têm efeitos benéficos para a sua saúde física e mental, promovendo bem-estar e aumentando a qualidade de vida.

A recomendação para a prática de exercício físico é de pelo menos 30 minutos na maioria dos dias, preferencialmente todos os dias. Note que o exercício físico não tem que ser extenuante, mas de intensidade moderada, para produzir benefícios. E se você não tiver tempo de praticar 30 minutos de uma vez, pode dividi-los em períodos de 10 minutos.

Um dos fatores principais que afasta as pessoas da prática do exercício é a falta de motivação. Para garantir que não irá desistir após um mês de esforço, o melhor é escolher uma atividade que lhe agrade e que ajude a liberar a tensão acumulada no seu dia a dia. O prazer proporcionado tornará o esforço mais fácil.

Existem milhares de formas diferentes de praticar exercício físico e a solução está em saber escolher qual melhor se adapta a você.

Prefere fazer exercício em grupo ou individualmente? Prefere atividades ao ar livre ou em ambientes fechados? Gosta de se exercitar livremente ou prefere ter o acompanhamento de um instrutor? Não gosta de esportes? Porque não faz então uma atividade física diferente, como a dança? Tente danças latinas, hip-hop ou samba.

O importante é que se sinta bem com você mesmo. E lembre-se, esporte nem sempre é uma competição. Cada um deve encontrar o seu próprio ritmo. Se não gostar do ambiente de certas aulas de fitness, você pode optar por atividades solitárias, como caminhada, corrida, natação, entre tantas outras.

O importante mesmo é não ficar parado! A sua saúde depende muito de você!

 

CORP-1162377-0011 PRODUZIDO EM JUNHO/2016 VÁLIDO POR 2 ANOS

9 dicas para se habituar a fazer atividades físicas

Todos nós temos potencial para ter vontade de praticar exercícios físicos
Todos nós temos potencial para ter vontade de praticar exercícios físicos

Você deve ter amigos que, mesmo com as agendas lotadas de compromissos, não deixam de ir na academia um só dia. Eles não param de falar sobre a próxima corrida e saem sorrindo depois de uma aula de yoga. Eles podem ser a minoria, mas são obcecados por academia. E se você sente um pouquinho de inveja, tudo bem. A boa notícia é que todos nós temos potencial para ter essa vontade de praticar exercícios físicos. Então, confira as dicas a seguir e não fique parado.

 

Acorde mais cedo – Programe o seu despertador e faça tudo o que for preciso para treinar de manhã. Uma boa dica é acender as luzes assim que o alarme tocar; isso fará você acordar mais rápido. Treinar no mesmo horário ajudará a criar uma rotina, e os treinos matinais são mais propensos a te deixar mais disposto do que treinar à noite, além de evitar os contratempos do final do dia.

 

Estabeleça uma meta de 6 semanas – O prazo para que o exercício físico faça parte da sua rotina está estimado em torno de seis semanas, pois é o período em que as mudanças estéticas começam a aparecer em seu corpo. E quando você acompanhar essas mudanças, não vai querer parar, pois vai ficar estimulado com a evolução do seu treino.

 

Encontre o seu exercício favorito – Você começou a praticar spinning e não gostou? Daí tentou o CrossFit e se machucou no primeiro dia? Isso não significa que todas as modalidades de exercícios não servem para você. Encontre algo que você goste e desprenda-se do seu dia a dia. Você vai saber que encontrou o exercício que gosta quando olhar para o relógio e ver que uma hora se passou e você nem percebeu.

 

Personal TrainerSe você está entrando no universo fitness ou precisa de um pouco de motivação e orientação, um personal pode ajudá-lo a definir metas e desenvolver um plano de treino.

 

Faça academia com os amigos – Malhar fica mais divertido com os amigos. O apoio e a motivação que um dá para o outro é essencial. E saber que um amigo está lhe esperando faz com que você não vá para casa, mas sim encontrá-lo para malhar. Exija mais do seu amigo; uma competição saudável também é motivadora.

 

Não exagere – O que pode acabar com seu novo hábito de exercícios é alguma lesão. Se você for iniciante precisa ter cuidado especial no começo. Sentir algumas dores musculares ou rigidez depois de um ou dois dias é normal. Mas cuidado para não forçar muito os seus músculos. Respeite o seu limite.

 

Motivação agradável – Monte uma playlist com suas músicas favoritas para ouvir enquanto corre ou faça esteira no horário do seu programa de TV favorito. Se preferir, marque um passeio com as amigas depois da aula de yoga ou permita-se uma sobremesa especial depois de malhar.

 

Planeje-se – Estudos mostram que quando criamos um calendário planejando os exercícios futuros estamos mais propensos a realizar todos.

 

Fora da academia – Se ir para a academia todos os dias é impossível por causa da sua agenda, procure fazer exercícios em casa. Existem formas de praticar aulas funcionais por meio de DVDs ou em sites que disponibilizam séries de exercícios para fazer em casa.

 

 

CORP-1162377-0011 PRODUZIDO EM JUNHO/2016 VÁLIDO POR 2 ANOS

 

Como se planejar para lidar com outras doenças quando se tem diabetes

É sempre bom ter um plano para manter a meta glicêmica, mesmo quando estiver doente
É sempre bom ter um plano para manter a meta glicêmica, mesmo quando estiver doente

Ficar doente pode fazer com que fique mais difícil se manter dentro das metas de açúcar no sangue. Por isso, o ideal é ter um plano para os dias em que estiver passando mal. Ele pode ajudá-lo a evitar complicações graves.

Seu plano para os dias em que estiver doente deve incluir:

  • A frequência com a qual você deve medir sua glicose.
  • Que remédios você deve tomar e se há remédios sem receita que você não pode tomar.
  • Como manter-se adequadamente nutrido.
  • Os números de telefone do seu médico.
  • Como conseguir contato com o médico fora do expediente, nos finais de semana e feriados.

 

Quando ligar para o seu médico

Pergunte ao seu médico quando você deve contatá-lo. Pode ser recomendado que você o contate quando você:

  • Estiver doente.
  • Tiver uma febre que não passa.
  • Estiver vomitando ou com diarreia por mais de 6 horas.
  • Não tiver certeza de como proceder para tratar algum problema com a sua saúde.

 

Dicas para quando você estiver doente

  • Meça sua glicose pelo menos 4 vezes ao dia ou conforme orientações do seu médico.
  • Mantenha um registro dos resultados de suas medições de glicose.
  • Certifique-se de que está ingerindo líquidos e nutrindo-se de forma adequada.
  • Mantenha um registro de todos os remédios que você toma. Essa informação é importante caso você precise ir a um hospital ou a uma consulta médica.
  • Pergunte ao seu médico se você precisa fazer algum exame laboratorial complementar.

 

Dicas sobre remédios para quando você estiver doente

  • Quando estiver doente, pergunte ao seu médico se você deve continuar tomando os remédios para diabetes.
  • Antes de comprar remédios que não precisam de receita médica, leia as embalagens para ver se eles contêm açúcar. Os remédios vendidos sem receita médica também são chamados de medicamentos de venda livre ou isentos de prescrição.
  • Pergunte ao farmacêutico se há opções de determinado remédio sem açúcar. Alguns remédios podem afetar seus níveis de glicose no sangue ainda que não contenham açúcar. Aspirina e expectorantes são alguns exemplos. Consulte seu médico para saber quais são os remédios de venda livre adequados para você.

 

Dicas de alimentação para quando você estiver doente

  • Siga sua dieta normal da melhor maneira possível.
  • Tome bastante líquido (bebidas não calóricas). Você pode beber água ou bebidas não calóricas para prevenir a desidratação.
  • Se você não puder seguir sua dieta alimentar normal, tente pelo menos consumir calorias em quantidade suficiente.
    • Você pode ingerir alimentos de fácil digestão, como gelatina comum, biscoitos salgados, sopas e purê de maçã.
    • Se esses alimentos não forem fáceis de engolir, talvez você tenha que tomar bebidas que tenham carboidratos, como sucos de frutas. Tente comer ou beber 50 gramas de carboidratos a cada 3 ou 4 horas.

 

Saiba mais sobre diabetes em:

http://www.diabetes.org.br/para-o-publico/

http://www.anad.org.br/o-que-deve-saber-sobre-diabetes/

 

CORP-1162377-0011 PRODUZIDO EM JUNHO/2016 VÁLIDO POR 2 ANOS

Alimentos que você deve evitar

Fast-food: esse tipo de alimentação tem sido associado, nos últimos anos, a um aumento do risco de asma nas crianças. Isso é relacionado com o fato desse tipo de refeição (pizzas, hambúrgueres, batatas fritas etc.) comprometer o equilíbrio da pirâmide alimentar por não conter vegetais, frutas e outros tipos de vitaminas essenciais à boa saúde do organismo. Além disso, as refeições do tipo fast-food contêm níveis elevados de gordura e conservantes, que podem ser prejudiciais a quem sofre da doença. Estudos demonstraram um aumento do risco de catarro em crianças cuja base alimentar era composta por de massas e pizzas.1

Gorduras trans e ômega 6: as gorduras provenientes das margarinas, molhos de saladas, frituras como os salgadinhos, alimentos industrializados e comidas demasiado processadas podem aumentar o risco de crises de asma. Os alimentos que contêm ômega 6 são os óleos de milho, soja ou girassol, e os ovos.

Conservantes: os sulfitos podem ser um fator desencadeante da asma para alguns pacientes. Eles podem ser encontrados em alimentos como frutos secos, vinho, cerveja e camarão.

Fontes
  1. WEB MD [acessado em junho de 2011]
  2. American Asthma Foundation [acessado em junho de 2011]
  3. Ashtma and Allergy Foundation of America [acessado em junho de 2011]
  4. Gupta K. B., Verma, M. (2007). Nutrition and Ashtma. Lung India 24:105-114
Referências
  1. Jeong DW, Yoo NM, Kim TS, Kim JH, Kim IY. Protection of mice from allergen-induced asthma by selenite: prevention of eosinophil infi ltration by inhibition of NF-kappa B activation. J Biol Chem 2002; 277: 17871-6
  2. Rowe BH, Bretzlaff JA, Bourdon C, Bota GW, Camargo CAJ. Magnesium sulfate for treating exacerbations of acute asthma in the emergency department (Cochrane Review). In: The Cochrane Library, Issue l. 2004. Chichester, UK: John Wiley & Sons, Ltd

Restrições

Como já vimos, existem algumas restrições nutritivas a que você deve ter atenção para evitar agravar suas crises asmáticas.

As comidas demasiado processadas e os conservantes presentes em alguns alimentos podem desencadear ataques de asma em pessoas mais sensíveis a essas substâncias.