Fale Conosco / Siga-nos

As alergias são uma resposta do sistema imunológico a uma substância considerada estranha ao nosso organismo, originando assim uma reação. Existem vários tipos de alergias: respiratórias, alimentares ou dermatológicas.

As alergias respiratórias caracterizam-se pela inalação da substância alérgena, fazendo com que o organismo libere histaminas. Essa resposta do sistema imunológico provoca, geralmente, inflamação, coceira, espirros, produção excessiva de muco nasal e irritação nos olhos.

Alguns dos agentes irritantes mais comuns são: fumaça ou vapores fortes (como os de tintas e lacas), ácaros e pelos de animais domésticos.

A asma e a rinite são as duas principais manifestações das alergias respiratórias.

Neste caso específico, a reação alérgica dá-se quase imediatamente após a ingestão de certos alimentos, provocando sintomas como inchaço dos lábios, da boca e da garganta, urticária e coceira, náuseas, vômitos e diarreias ou sintomas mais graves como tonturas e dificuldade respiratória.

Os casos mais graves de alergia alimentar são os que evoluem para a anafilaxia que, se não tratada imediatamente, pode conduzir à perda de consciência e ser fatal.

Os alimentos que mais comumente podem provocar alergia alimentar são: leite de vaca, clara de ovo, peixe, marisco, amendoins, nozes, amêndoas, caju, trigo e feijão de soja.

O que acontece durante uma reação alérgica?

Depois de exposto ao alérgeno através de inalação, ingestão ou contato com a pele, o sistema imunológico reage produzindo um tipo de anticorpo denominado imunoglobulina E (IgE). Os mastócitos, sensibilizados pela IgE, liberam então diversas substâncias químicas, das quais a principal é a histamina, que causa a maioria dos sintomas alérgicos.

No caso das alergias dermatológicas a resposta do sistema imunológico provoca reações cutâneas, tais como prurido, vermelhidão e manchas na pele. Esse tipo de alergia é mais típico nas crianças, mas atinge também os adultos.

Para melhor controle desse tipo de alergia, deve-se evitar ou limitar o contato com os alérgenos e cuidar do corpo com o objetivo de prevenir a secura excessiva da pele.

A urticária e a dermatite atópica são as principais alergias dermatológicas.

A melhor prevenção de alergias é evitar o contato com o alérgeno.

Cuidados Especiais

Uma vez que as alergias são causadas pela reação a um determinado alérgeno (ou vários), a principal forma de prevenção é mesmo identificá-lo(s) e evitar ou limitar o contato com todos os fatores precipitantes.

  • Se você é alérgico(a) ao pelo de cães e gatos, evite ter animais domésticos.
  • Evite ter tapetes e carpetes em sua casa, pois acumulam pó e ácaros. Limpe regularmente o seu colchão com aspirador.
  • Troque regularmente as fronhas de suas almofadas e os lençóis da cama.
  • Limpe regularmente o pó de sua casa com um pano umedecido, evitando assim que o pó circule no ar enquanto faz a limpeza.
  • Evite almofadas de penas ou cobertores com pelo.
  • Quando há maior concentração de polens no ar, como na primavera, evite deixar as janelas abertas e proteja-se nos dias de bastante vento.
  • Proteja-se da exposição à fumaça de cigarro.
  • Não escolha profissões que possam agravar as crises, como padeiro ou carpinteiro.
  • Mantenha um diário das suas crises alérgicas. Escreva detalhadamente o que desencadeou os sintomas, quando e em que circunstâncias. Esse diário vai ajudar você e seu médico a encontrarem estratégias de prevenção.

A melhor forma de evitar uma alergia alimentar é não ingerir o alimento que a provoca. Se você não sabe ainda qual o alimento específico que provoca a reação alérgica, manter um diário de suas refeições pode ajudar a identificar quais os produtos nocivos à sua saúde.

  • Informe-se sobre os ingredientes dos produtos: para evitar ingerir inadvertidamente um produto ao qual é alérgico, sempre que se alimentar fora de casa pergunte sobre os ingredientes que compõem a sua refeição e informe que é alérgico a um determinado alimento. Muitas vezes os molhos “escondem” ingredientes que não são visíveis a olho nu.
  • Leia com atenção os rótulos dos produtos e informe-se se eles contêm algum dos elementos aos quais é alérgico.
  • Na cozinha, tenha especial cuidado na preparação de alimentos para não haver contaminação com substâncias que causam alergia.
  • Informe sobre a alergia nos locais onde frequenta, por exemplo: escola, trabalho, restaurantes etc.

Os 8 alimentos mais comuns que podem provocar alergias alimentares:

Mais uma vez, a melhor forma de evitar a alergia é evitar o contato com o agente que a provoca. Se não tem certeza de qual a causa da reação, consulte seu dermatologista e faça exames dermatológicos para identificar a causa.

Os agentes que mais comumente causam alergia dermatológica são: látex, veneno de insetos, alguns metais (níquel, ouro, cobalto), sulfato, bacitracina e neomicina.

Durante a reação alérgica, tome especial cuidado com sua pele, hidratando-a regularmente com loções que protejam dos alérgenos.

Nutrição

As alergias alimentares podem parecer problemáticas na hora das refeições, e limitam as opções. Com apenas alguns cuidados e imaginação para o preparo de receitas, você pode aprender a contornar esse problema.

O melhor conselho para quem tem alergias alimentares é evitar comer produtos que contenham as substâncias às quais é alérgico. Contudo, muitas vezes essas substâncias estão escondidas.

A seguir, algumas dicas para lhe ajudar:

leite e derivados

Alimentos “escondidos”: cachorro quente, atum em lata, alguns chicletes, margarinas, chocolate, sobremesas com corante de caramelo, corante de coco, bife grelhado (muitos restaurantes usam molho de manteiga para cobrir esses bifes).

ovos

Alimentos “escondidos”: algumas barras de chocolate e as massas de algumas sopas processadas.

nozes

Alimentos “escondidos”: molho de salada, alimentos com ômega 3, algumas papinhas para bebês e leite de soja.

trigo/glúten

Alimentos “escondidos”: muitos produtos contêm a proteína do trigo como estimulante do sabor, especialmente em molhos, bebidas alcoólicas, cachorros quentes, casquinha de sorvete e algumas marcas de manteiga.

marisco

Alimentos “escondidos”: molho de salada, alimentos com ômega 3, algumas papinhas para bebês e leite de soja.

As pessoas que sofrem de alergias alimentares restringem, muitas vezes, suas refeições fora de casa, uma vez que aumentam o risco de ingerir não intencionalmente algum alérgeno escondido nos alimentos.

Contudo, não se deve se coibir de realizar atividades do cotidiano, desde que tenha especial atenção e cuidados redobrados. Hoje em dia, mesmo para quem tem alergias alimentares, comer fora é muito mais fácil e seguro, pois os restaurantes já estão mais preparados para essas situações e conscientes dessa realidade, muitas vezes oferecendo até menus alternativos.

O primeiro passo, quando fizer uma refeição fora de casa, é informar detalhadamente qual o tipo de alergia e os alimentos que não pode comer. Tenha um cuidado especial com molhos.

Exercício Físico

Os benefícios da prática de exercício físico para a saúde são reconhecidos em todo o mundo. A atividade física não só ajuda a manter o seu peso ideal, aumentando seu condicionamento físico, como também fortalece o sistema imunológico e ajuda a combater doenças como diabetes, obesidade e hipertensão.

A recomendação diária para a prática de atividade física é de 30 minutos diários de exercício moderado, pelo menos 5 vezes por semana.

O exercício físico ajuda ainda a melhorar problemas respiratórios, através da oxigenação do sangue.

Porém, se você tem problemas respiratórios ou qualquer outro problema de saúde, deve juntamente com o seu médico traçar um plano que lhe permita exercitar-se em segurança, melhorando a sua condição física e a sua saúde.

A caminhada é a forma mais simples de se exercitar. É acessível a todos e fácil de pôr em prática. Ao contrário de muitas atividades físicas, a caminhada é totalmente gratuita e não requer nenhum equipamento ou material específico. Basta um tênis confortável.

Além de ser o meio de transporte mais ecológico no planeta, os benefícios da caminhada são incontestáveis. Com apenas 20 minutos do exercício, o cérebro já começa a liberar endorfina e serotonina, duas substâncias que promovem a comunicação entre os neurônios. A primeira tem ação calmante e efeito analgésico, a segunda produz sensação de bem-estar.

A caminhada pode ser feita em grupo ou não. Caminhar pode ser um divertido programa de família, associando os benefícios para a saúde ao convívio saudável com amigos e/ou familiares.

Os exercícios aeróbicos são uma forma divertida e agradável de se praticar exercício físico. Ajudam no processo de emagrecimento, no combate ao estresse, na melhora do sistema imunológico e na redução do risco de desenvolver algumas doenças.

Para tornar os exercícios mais divertidos você pode gravar as suas músicas favoritas e exercitar-se ao som dos artistas que mais gosta. A música é um grande motivador e poderá ser utilizada como estímulo para a realização dos exercícios, marcando também o seu ritmo.

Os benefícios incluem:

  • Aumento da eficiência cardíaca
  • Perda de peso: como esses exercícios queimam gordura, é possível reduzir a quantidade de gordura corporal.
  • Garantia de saúde mental: a prática regular de exercícios aeróbicos promove a liberação de endorfinas, substâncias que atuam como analgésicos naturais, além de combater o estresse, a depressão e a ansiedade.
  • Melhora do sistema imunológico: muitos estudos demonstraram que as pessoas que praticam exercícios regularmente são menos vulneráveis a doenças virais, como gripe e resfriado.
  • Prevenção de doenças: a obesidade é um fator que contribui para o desenvolvimento de doenças cardíacas, hipertensão arterial, acidentes vasculares cerebrais, diabetes e alguns tipos de câncer. À medida que se emagrece, o risco de desenvolver essas doenças é reduzido.
  • Maior expectativa de vida: em 1986, estudos americanos publicados no New England Journal of Medicine mostraram pela primeira vez a associação entre a prática de exercícios e o aumento da expectativa de vida. Posteriormente, outros estudos obtiveram resultados semelhantes.
  • Maior disposição: a atividade física pode cansar a curto prazo, durante e logo após os exercícios, mas a longo prazo é responsável por maior disposição e redução da fadiga.
  • Aumento da força muscular: os exercícios aeróbicos estimulam o crescimento de pequenos vasos sanguíneos nos músculos (capilares), fornecendo maiores quantidades de oxigênio e ajudando a eliminar do organismo produtos indesejáveis, como o ácido láctico. Dessa forma, é possível auxiliar no combate à dor em pessoas com dores musculares crônicas, fibromialgia e lombalgia crônica.

Para obter melhores resultados, as atividades aeróbicas devem ser combinadas com exercícios de resistência — para aumentar a força — e alongamento — para melhorar a flexibilidade e a amplitude dos movimentos.